TRANSLATE

segunda-feira, 25 de junho de 2012

CONVITE


NÃO DEIXEM DE PARTICIPAR!!!

CAMPANHAS

AVISOS IPC-ITAPIRA

Avisos:

26.06 Dia Mundial de Enfrentamento às Drogas: Caminhada pela VIDA! (Saída às 14h30 da R: Orestes Pucci, defronte ao Hotel São Paulo) Realização: COMADI; CREAS; Rede Social/ ASCORSI; Amor Exigente e IPCI. Participe!
02 a 07.07 Semana de Oração.
04.07 20h30 Reunião em Preparação do Mês Missionário com Equipe Missionária e Comissão de Cuidados Pastorais.
20,21 e 22.07 Retiro do Conselho Missionário.

ANIVERSARIANTES IPC-ITAPIRA

Aniversariantes:

 24/06 - Elizette Baptista & José Sanches;
24/06 - Jonathan Rafael Camilo;
26/06 - Elisângela Duarte;
          27/06 - Dirce B. Pupo Camargo;
   Maria J. Chaves & João Chaves.

Que nosso grande Deus derrame ricas Bênçãos sobre todos!!!

MENSAGEM PASTORAL

Coluna da Verdade

“Casa de Deus que é a Igreja do Deus vivo, coluna e fundamento da verdade.” (1Tm 3.15).

A Igreja foi estabelecida por Cristo para ser a coluna e o fundamento da Verdade. Esta afirmação não é muito simpática em nossos dias. Nossa cultura plural e relativista não suporta ouvir algo semelhante. É politicamente incorreto defender absolutos onde cada um tem a sua verdade, onde cada um postula para si uma moral e uma ética que acomode bem em sua vida, segundo a lógica do conveniente. Todavia, nada disso muda o fato de que a Igreja é a coluna e o sustentáculo da verdade, quer compreendam ou não os próprios crentes, quer aceitem ou não os homens e mulheres que estão fora dela.  Contudo, a Verdade que a Igreja sustenta não é arrogante, orgulhosa, mesquinha e prepotente, longe disso. Antes, é uma verdade libertadora, amorosa, graciosa e cheia de vida. Esta Verdade é a pessoa do Senhor Jesus Cristo, seu Evangelho e seu Reino de paz. É uma Verdade que deve ser apresentada e defendida no mundo não por meio da força ou violência. Não por meio da imposição nem por meio de ostensiva propaganda ou pela oferta de vantagens e benefícios. A Verdade que está na missão da Igreja deve ser comunicada por meio do serviço desinteressado, gratuito e amoroso. Serviço em defesa da vida e da dignidade humana em todas as suas etapas. Defesa da vida que compreende desde o feto em gestação até o ancião no entardecer da existência. Esta Verdade deve ser anunciada pelo anúncio integral do Evangelho sob a pregação e a vivência de uma ética pautada pelos valores inegociáveis do Reino, como a equidade, a justiça, a paz, os direitos fundamentais da pessoa e etc. A Igreja não pode acomodar-se aos simples atos da religião e do culto. Não pode ensimesmar-se e acomodar-se apenas na repetição, transmissão e defesa de conceitos e doutrinas. Não obstante o valor destas coisas, ela é coluna da Verdade quando exerce o seu múnus profético no tempo e na sociedade onde está inserida. Ali, deve denunciar sem medo o pecado e as estruturas de pecado que geram sofrimento, dor, alienação, marginalização e morte do homem imagem e semelhança de Deus. Ali, deverá anunciar o juízo do Senhor sobre toda iniquidade e mentira e convocar a todos para que endireitem as suas veredas. Deverá proclamar a esperança do Reino e a sua concretização em forma de “já e ainda não” por meio de ações concretas, de compromissos concretos com a transformação do ambiente onde está plantada. Uma Igreja não será útil nas mãos de Deus e nem poderá cumprir bem a sua missão de sustentar a Verdade se não estiver em compasso com a história. 138 anos depois, a IPCI não pode contentar-se em viver da “renda” de seu passado. Deve inclinar seus ouvidos para aquilo que o Espírito fala à Igreja. Deve olhar para o mundo e descobrir como o Espírito Santo tem agido nele. Em tempos de Economia Verde, Sustentabilidade, Meio Ambiente, a Igreja não pode furtar-se à sua responsabilidade em contribuir a partir do Mandato Cultural recebido ainda nos dias do Éden. Deverá promover ações concretas e educativas nesta relação com o Planeta. Em tempos de eleições municipais também não podemos seguir a lógica dos partidos políticos e dos candidatos. Não devemos pensar em termos de conveniência ou de vantagens. Também não prestamos culto à personalidade. Nossa missão é de conscientizar e orientar para que as escolhas sejam mais criteriosas. Não é indicar candidatos, mas delinear um perfil que seja compatível com a função de homem público e com suas exigências éticas. Em tempos de política nosso dever é exigir que o debate político seja de ideias e não de pessoas. Que o confronto seja de projetos e propostas e não simplesmente de grupos e facções. Em dias em que as drogas e o álcool destroem famílias inteiras e ceifam a vida de centenas de milhares de jovens e só faz aumentar a violência, a Igreja não pode fazer-se indiferente. Deve usar de todos os meios ao seu alcance, inclusive o Evangelho que é o Poder de Deus para a Salvação, para libertar os que estão cativos da dependência química e para educar e prevenir àqueles que todos os dias são abordados por traficantes e falsos amigos. A IPCI não poderá comemorar dignamente os seus 138 anos se não estiver reconciliada com o seu presente e nele atuando de maneira profética, jamais renunciando á sua missão de sustentar a Verdade que Liberta a todos: Jesus Cristo! Parabéns à Igreja Presbiteriana Central de Itapira.

Reverendo Luiz Fernando
Pastor da IPCI

segunda-feira, 18 de junho de 2012

NOTÍCIAS

A Rio+20 e as orações da Igreja Evangélica Brasileira‏



Campanha das Igrejas Ecocidadãs em favor de um mundo justo e sustentável. Mais informações em www.igrejasecocidadas.org.br

Ouve, SENHOR, a justiça; atende ao meu clamor; dá ouvidos à minha oração, que não é feita com lábios enganosos. Salmo 17.1
Prezados irmãos e prezadas irmãs, saudações e paz.
Os olhos do mundo estão voltados para o Brasil, neste dias, em função da Rio+20. Os assuntos passam por economia, sustentabilidade, condições climáticas, continuidade da vida humana em nosso planeta. O que isso tem a ver conosco, como Igreja do Senhor Jesus? Basta lembrarmos que Deus é o Criador e quando nos criou deu-nos a incumbência de zelar do seu jardim. 
Que tal nos unirmos a evangélicos de todo o Brasil em oração, neste fim-de-semana? A Aliança tem participado de uma mobibização juntos com várias igrejas, organizações, irmãos e irmãs, em torno do que se tem chamado Igrejas Ecocidadãs. Veja mais em www.igrejasecocidadas.org.br.
Preparamos uma sugestão de liturgia ou programa de culto em torno do tema. Veja aqui.
Também há um vídeo de 2,5 minutos de conclamação à oração. Pode ser usado para desafiar os irmãos e irmãs à oração por vários temas relacionadas à vida da humanidade em nosso planeta hoje e por seus governantes reunidos nesses dias no Rio de Janeiro. Veja aqui.
Além das orações, vários irmãos e irmãs de todo o Brasil estão participando esta semana da Cúpula dos Povos, no Rio de Janeiro. O movimento das Igrejas Ecocidadãs teve várias programações durantes os dias 15 e 16 de junho.
Que o Senhor ouça as preces do seu povo, quando ele clamar!
Pr.  Wilson Costa
Diretor Executivo
Aliança Cristã Evangélica Brasileira

CONVITE IPC-ITAPIRA

Não deixem de participar!!!

AVISOS IPC-ITAPIRA

Avisos:

20.06 20h30 Reunião com Depto. De Educação Cristã; Reunião com Conselho Missionário.
23.06 Manhã de Espiritualidade para a Liderança da Igreja com o Rev. Elbén M. Lenz Cesar na Chácara do Pb. Railton.
23.06 19h30 Aniversário de 138 Anos da IPCI Culto Festivo:
Pregador - Rev. Elbén M. Lenz César.
24.06 19h Culto Solene: Pregador - Rev. Elbén M. Lenz César.

VISITA PASTORAL

Visita Pastoral:

18.06 19h30 Res. Alice Fray  
18.06 21h00 Res. Telma e família;

ANIVERSARIANTES IPC-ITAPIRA

Aniversariantes:

 17/06 - Gabriel G. M. Carazza;
          19/06 - Adesenir Cardoso;
20/06 - Cláudio Marcos Costa Soares;
21/06 - Benvindo R. Pereira Jr.
Inah Guzelotto Alves;
23/06 - Valéria Zeni Pereira.

Que nosso grande Deus derrame ricas Bênçãos sobre todos!!!



MENSAGEM PASTORAL

                
Aprendendo a Celebrar os 138 anos da IPCI
“Explicarás esse dia ao teu Filho.” (Ex 13. 8 Bíblia do Peregrino).

Celebrar para os cristãos não é simplesmente festejar. Estamos no mês dedicado às comemorações dos 138 anos de nossa Igreja. Uma data tão importante e ainda ignorada por muitos aqui da cidade, até mesmo pelas autoridades locais. A nossa Igreja, seguramente está entre as 20 igrejas cristãs evangélicas mais antigas do Brasil. Para termos uma ideia, a maior igreja evangélica brasileira, a Assembleia de Deus, comemorou o seu centenário em solo pátrio o ano passado. Quando os missionários suecos daquela denominação desembarcaram em Belém do Pará, a nossa IPCI já era uma jovem senhora rica em filhos espirituais e já com igrejas plantadas. Já havia superado crises, dificuldades financeiras, hostilidades e perseguições. Já havia enfrentado o pecado de alguns de seus membros e tratado deles à luz das Escrituras. Já havia dado pastores para a denominação e etc. No âmbito das Igrejas que permanecem sob a jurisdição da IPB (Igreja Presbiteriana do Brasil), a IPCI é a 8ª mais antiga. Entretanto, antiguidade por si só não diz muita coisa. Antiguidade sem verdade não passa de uma velha mentira, ensinaria Agostinho. É a verdade que dá legitimidade e perenidade às coisas antigas. Sem verdade elas tendem à caducidade e ao desaparecimento. Para nós, cristãos, a verdade é uma pessoa: Jesus Cristo. N’Ele lemos a história e d’Ele extraímos o sentido verdadeiro de cada acontecimento. Para que isto seja possível e para que nossa celebração não seja reduzida a uma festinha de crentes, precisamos voltar às fontes das Escrituras para aprendermos como fazer desta data e desta comemoração, um ato de culto aceitável a Deus, um ato santificante para os crentes e salvífico para aqueles que nos visitam. Em primeiro lugar, em cada comemoração a Bíblia nos ensina que devemos reconhecer a vontade soberana de Deus no fato celebrado. Foi Deus quem determinou, planejou e preparou todos os meios conducentes, para que chegássemos a este dia. Ele é o Senhor absoluto da história, conquanto conserve sempre a liberdade de suas criaturas morais, Ele não abre mão do controle da história. Em segundo, as Escrituras nos convidam ao humilde reconhecimento de nossa impotência e incapacidade. Não foram a nossa força, inteligência, habilidade ou riqueza que nos trouxeram até aqui, não. É certo que Deus quis servir-se de nós, por causa de nós, através de nós e, sobretudo, apesar de nós, para estabelecer o seu projeto de amor e salvação aqui em Itapira. Em terceiro lugar, a Bíblia nos convida à contrição. Somos levados a reconhecer que todo retrocesso, toda estagnação, toda divisão e todo insucesso deveu-se apenas e tão somente à nossa natureza decaída e aos resíduos do pecado que teimam em agir em nossos membros. Deus não falhou. O Filho não foi incapaz. O Espírito nunca perdeu poder. Mas, nossos pecados foram capazes de ferir os irmãos, afastar as pessoas, desacreditar o Evangelho e envergonhar a noiva de Cristo. Celebrar é também humilhar-se, pedir perdão e restauração. Em quarto lugar, a ação de graças. Agradecer e louvar a Deus, adorá-lo por aquilo que Ele é nas perfeições santíssimas de seu caráter e de seu poder. Agradecê-lo por sua indestrutível providência e por seus ternos cuidados paternais. Agradecê-lo por sua bondade e misericórdia em socorrer-nos quando padecíamos em nossa miséria e por sua longanimidade quando pacientemente esperou por nosso retorno ao bom senso quando parecíamos encontrar gozo no pecado. Em fim, o Livro Santo nos ensina que celebrar bem é saber contar às gerações futuras a nossa história. É saber fazer memória adorante e proclamadora daquilo que vivemos e agora testemunhamos de nossa caminhada histórica no evangelho, sob a direção do Espírito do Senhor. Valorizar e transmitir a nossa história assegura um legado de valores, princípios, conduta ética e moral, senso de justiça e verdade, que são valores inegociáveis do Evangelho e do Reino de Deus que Itapira tem o direito de encontrar e de reclamar em nossa Igreja, pois exatamente para isto foi que o Senhor nos plantou aqui há 138 anos. Celebremos o Senhor com júbilo.

Reverendo Luiz Fernando Pastor da IPCI

segunda-feira, 11 de junho de 2012

UTILIDADE PÚBLICA


Sábado, dia 16 de junho, começa a 1ª etapa da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite. Vamos compartilhar essa notícia do bem!

AVISOS IPC-ITAPIRA

Avisos:

13.06 - 20h30 Reunião para Preparação do Retiro do Conselho Missionário.


ANIVERSARIANTES IPC-ITAPIRA

Aniversariantes:

 10/06 - Sandra V. Kohn de Paulo;
          11/06 - Rogério Rigotti & Ariane;
12/06 - Virgílio Avancini;
13/06 - Rogério Rigotti; Kesley M. G. de Oliveira; Isabela R. Torres; Israel Bologna;
Luiz Fernando & Regina;
14/06 - Carlos & Izolete;
15/06 - Franciele Cristina Fazoli;
16/06 - Talita Raissa F. F. dos Santos.

Que nosso grande Deus derrame ricas Bênçãos sobre todos!!!!

MENSAGEM PASTORAL

O futuro da IPCI
“Nós, porém, não somos dos que retrocedem e são destruídos, mas dos que crêem e são salvos.” (Hb 10.39).


As lições do passado servem de grande valia para o futuro. Quem não sabe integrar o que aconteceu ontem no hoje e projetá-lo no amanhã de sua vida, pode sofrer graves consequências, como a desesperança, o pessimismo, a desorientação e uma espécie de esquizofrenia. Saber ler a própria história e enxergar nela um propósito em cada coisa é o grande segredo para uma vida sem temores e com grande segurança para tomar decisões, grandes ou pequenas, certos de que a experiência adquirida servirá de parâmetro em nossas escolhas. Não podemos abrir mão de nossa experiência de 138 anos de Igreja, nossa história é nosso legado, mas também nossa bússola, em certo sentido. Uma Igreja de 5 ou 9 anos, como as nossas filhas aqui na cidade (J. Raquel e Boa Esperança respectivamente), têm mais história para ser escrita do que história já vivida. A d. Persídia, por exemplo, tem mais experiência adquirida do que a adquirir se comparado à Maria Eduarda que nasceu há uma semana.  Sendo assim, o futuro da IPCI dependerá muito de como ela apreendeu as lições de sua história e aqui alguns exemplos são importantes: 1. A audácia dos pioneiros: A IPCI floresceu num tempo de grandes dificuldades. Ser protestante numa cidade católica não era coisa fácil naqueles idos de 1874. Havia muita perseguição, os protestantes eram estigmatizados socialmente, nem seus mortos podiam ser sepultados em cemitério comum. Perdiam amizades, negócios, status. Não perdiam, porém, a audácia para falar de Jesus Cristo e do Evangelho puro em toda e qualquer oportunidade. 2. A coragem dos pioneiros: Nesta região havia um surto frequente de febre amarela que dizimava centenas de homens e mulheres. Deus serviu-se deste episódio para espalhar os missionários americanos que temiam a enfermidade para outros rincões do Brasil. Entretanto, outros tantos ficaram e aqui tombaram pela doença. Ficaram para proteger, fortalecer e consolar o rebanho e as instituições que engatinhavam naquela altura. 3. A inserção dos Pioneiros: O Brasil era um país com taxas de subdesenvolvimento gritantes por toda parte. Saúde, educação e qualificação profissional era privilégio de poucas cidades. Os pioneiros do Presbiterianismo em muitos contextos iniciaram a obra com a criação de escolas, hospitais, escola de artes e ofícios. Aqui em Itapira há o registro de uma escola elementar evangélica, havia a preocupação de fornecer educação e formação moderna para que os cristãos fossem homens e mulheres úteis também para a sociedade. Logo que chegaram na “Penha do Rio do Peixe” e assim que se organizaram, há o registro de campanhas lideradas pelas “damas” da Igreja para socorrer os pobres em suas necessidades. 4. O ardor Evangelístico dos Pioneiros: Menos de 30 anos depois a IPCI já havia participado na organização de pelo menos duas igrejas: Mogi Mirim, mais diretamente, e São João da Boa Vista, exercendo apenas a jurisdição do Conselho. Isto sem falar de famílias inteiras que vieram para o Evangelho: Fray, Wismann, Pereira, Caetano e através destas muitas outras. Nossos pioneiros cultivavam uma verdadeira paixão por ganhar almas. 5. A visão de progresso dos Pioneiros: Adquiriram um terreno estratégico no centro da cidade. Construíram um templo com linhas arrojadas para a mentalidade da época. Depois anexaram o pavilhão, a casa pastoral e mais tarde o Edifício de Educação Cristã. Fizeram tudo isso, pensando nos que viriam depois deles, para que pudessem dinamizar e fazer crescer ainda mais a obra do Evangelho aqui em Itapira. 138 anos depois, na prática, com os olhos no retrovisor da história e seguindo em frente, penso que a revivescência deste legado poderia desafiar-nos assim: 1. Precisamos de audácia para testemunhar neste tempo e nesta cultura cada vez mais secular, cada vez mais “cristofóbica”. 2. Precisamos de coragem para perseverar neste contexto de relativismo moral, para não sucumbir ao derretimento ético que grassa à nossa volta como em uma epidemia. 3. Precisamos construir uma comunidade efetivamente comprometida e inserida nas demandas sociais de Itapira. Com criatividade promover a dignidade humana e nos tornarmos uma Igreja Sustentável! 4. Desejemos receber do Senhor um novo, dinâmico e poderoso impulso missionário e evangelístico para ganhar muitas vidas para o Senhorio de Cristo. Transformando e resgatando famílias inteiras. 5. Tomar consciência de a “tocha” está em nossas mãos e que nós é que devemos entrega-la acesa aos que nos liderarão amanhã. Que o nosso legado histórico nos impulsione para um amanhã muito melhor!

Reverendo Luiz Fernando
Pastor da IPCI

segunda-feira, 4 de junho de 2012

CONVITE IPC-ITAPIRA

TV-WEB IPCI

TV-WEB IPCI

O culto do  dia 03 de Junho de 2012 e outros, podem ser vistos acessando o site:

TV-WEB IPC ITAPIRA

VISITA PASTORAL

Visita Pastoral:

04.06 19h30 Res. Hélio Sartorelli e família;
09.06 17h00 Res. Rogério Rigotti e família;
10.06 15h00 Res. Bruno R. Pereira e família;
11.06 20h30 Res. Agenor Neto e família;

AVISOS IPC-ITAPIRA

Avisos:

09.06 Jantar do Dia dos Namorados, melhores informações com Vanessa ou Giovana
Nasceu dia 30.05 às 06h50, com 2.750g e 47 cm Maria Eduarda filha do  Pb. Rogério Rigotti e Ariane, que Deus continue abençoando esta família!!!!

ANIVERSARIANTES IPC-ITAPIRA

Aniversariantes:

03/06 - Agenor B. Camargo Neto; Marília Rodrigues Pereira;
          06/06 - Alexandre Rodrigues Pereira.

Que nosso Deus derrame ricas Bênçãos sobre todos!!!!

MENSAGEM PASTORAL

Junho: Mês de Aniversário da IPCI
        “Volte ao primeiro amor.” (Ef 2. 5 b Ed. Pastoral).

Ah, junho chegou! Dia dos namorados, é o mês dos apaixonados. Tudo muito bom e bonito, mas, como eu gostaria que este “enamoramento” fosse também pela Igreja e esta paixão toda fosse direcionada ao Senhor Jesus Cristo. 138 anos depois corremos o perigo já da fossilização da Igreja engolida pelo formalismo dos usos e costumes herdados, de nossa tradição local gerada no seio das famílias. Com o passar do tempo um dos grandes perigos que rondam a vida cristã em comunidade é a mesmice, o automatismo, o fazer as coisas sem crítica, sem o envolvimento completo e total da mente e do coração. Quando a igreja fica refém de sua agenda e de seus planos e estratégias, que só fazem repetir no ciclo dos anos as mesmas coisas que sempre fazemos, então está na hora de acender a luz amarela. Estamos em estado de fossilização, nossa presença e atuação podem não mais ser relevante, transformadora, impactante, profética e missionária. Pode ser que nos institucionalizamos tanto que já não encontramos a dimensão carismática, espiritual e sobrenatural de nossa missão no mundo de ser o corpo místico de Cristo, o sinal do Reino e o germe da nova humanidade. Uma igreja deve renovar-se na Palavra de Deus e no Espírito constantemente para permitir que sua estrutura seja um meio e não um fim. Para que sua agenda seja o princípio que garanta ordem, coerência e objetividade pastoral e não um receituário de vida de igreja, os cristãos devem sempre estar atentos ao que o Espírito diz à Igreja. O Espírito fala de dois modos à Igreja. Fala instruindo e edificando pela audiência racional e religiosa da Palavra de Deus fielmente exposta, fala pelos sinais do tempo, pelos sinais emitidos pelo mundo, suas carências, necessidades, desesperos, sofrimentos e conquistas. Então, instruída pela Palavra a Igreja é desafiada pelo mundo e provocada a dar uma resposta Bíblica como cumprimento de sua razão de ser no plano de salvação. Há 138 anos o irmão Jacó Bologna e os missionários Chamberlain e Edward Lane não poderiam sonhar com a longevidade da obra por eles iniciada. Daqui saíram pastores, missionários, lideranças leigas, lideranças políticas e homens e mulheres inseridos com excelência e qualidade inspiradas no Evangelho no campo da educação e no mundo dos negócios. Isto sem falar evidentemente, em todas as vidas aqui transformadas pela pregação do Evangelho, pelos casamentos que foram reconstruídos à luz das Escrituras e das muitas orações, de pessoas libertadas de vícios sociais e químicos. Quantos milagres morais estas paredes testemunharam ao longo dos séculos! Mas, quantos pecados não confessados e quantos fracassos espirituais, quantos escândalos estas paredes também não encerram em seu silêncio eterno? Mas, se nos calarmos, as pedras gritarão um dia. Que presente a IPCI mereceria ganhar de seus filhos no mês de seu aniversário? Elenco alguns aqui: 1. Filhos efetivamente engajados e afetivamente interessados em seu desenvolvimento. Homens e mulheres generosamente inseridos em um contexto ministerial, útil e abençoador para a comunidade e ainda sonhando e projetando em oração dias ainda mais felizes na Igreja; 2. Filhos que demonstrem nos gestos e nas palavras que são incondicionalmente apaixonados por Jesus. Que 1000 vezes preferissem morrer do que pecar contra tão doce salvador. Homens e mulheres preocupados e ativos em sua santificação progressiva, sem desânimo, sem satisfação com o pouco que possuem, mas, desejando mais de Deus, seu conhecimento e seu poder. 3. Filhos Profetas! Homens e mulheres equipados da Palavra e de dons espirituais, habilitados e capacitados para servirem nas mais variadas esferas da sociedade levando o anúncio e o testemunho de Cristo, implantando o Reino de Deus no local que estejam inseridos para ganhar a própria subsistência. 4. Por fim, Filhos que não se deixem fossilizar por humanas tradições, que não extingam o espírito, que não apaguem o amor, que não se deixem secularizar e que se renovem a cada dia para viverem na liberdade dos filhos de Deus. Bom mês de aniversário para todos nós.
Reverendo Luiz Fernando
Pastor da IPCI