TRANSLATE

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

CAMPANHAS

DOMINGO DA IGREJA PERSEGUIDA


Domingo da Igreja Perseguida é  um dia em que pessoas que se importam com a atual e crescente intolerância religiosa se mobilizam e agem em favor dos cristãos perseguidos.


Acredite: ainda hoje muitos são expulsos de suas casas e empregos porque seguem a Jesus Cristo. Muitas nações e governos demonstram seu descontentamento de forma cruel. Na Eritreia, por exemplo, cristãos são encarcerados em contêineres de metal. Preocupados com a honra da família, muitos pais não apenas permitem, mas causam a morte do familiar que escolheu o cristianismo.

Mas você pode fazer diferença na vida desses cristãos e tornar-se um com eles.

O que é?

O DIP – Domingo da Igreja Perseguida - é um evento patrocinado pela Portas Abertas, que tem o objetivo de conscientizar a Igreja brasileira sobre a violação dos direitos de crença dos cristãos ao redor do mundo.

Em pleno século 21, cerca de 100 milhões de cristãos enfrentam hostilidade e perseguição religiosa pelo simples fato de seguir a Cristo. Essa intolerância acontece de várias maneiras: por meio do governo, da sociedade e, principalmente, da família. E as consequências da fé são, muitas vezes, encarceramento, agressões físicas e psicológicas, ameaças, perda de emprego, além da morte.
Para amenizar essas dificuldades, a Portas Abertas realiza o DIP todos os anos, como forma de mobilizar os cristãos livres para orar, divulgar e atender às necessidades dos cristãos que não têm voz própria, em países como Coreia do Norte, Irã, Afeganistão, Eritreia, Nigéria, Colômbia, entre outros.
Por isso, quando você e sua igreja se comprometem a organizar este evento, vocês estão representando cristãos de todo o mundo que não desfrutam da mesma liberdade de fé e de expressão de amor a Deus, como vocês fazem.
Realizar o DIP significa lembrar-se e agir em favor dessa parte do Corpo de Cristo que necessita de oração, de modo que sua realidade seja divulgada entre os cristãos brasileiros. Afinal, menos de 25 mil brasileiros estão envolvidos diretamente com a causa da Igreja Perseguida – esta que enfrenta perseguição religiosa.

Mas você pode mudar essa realidade.

Clique aqui, cadastre sua igreja para o DIP 2012 – que acontecerá no dia 3 de junho – e faça com que sua comunidade seja intercessora e divulgadora desta causa.

Um com eles

A cada ano, a Portas Abertas escolhe um tema que norteia toda a sua comunicação nesse período.

Em 2012, o tema será "Um com eles".

De acordo com o texto de Romanos 12.4-5, percebemos que um membro do corpo não pode fazer nada sozinho. É necessária uma parceria para que o corpo viva em harmonia. Um não é mais importante que o outro, pelo contrário, "cada membro está ligado a todos os outros".
Também em I Coríntios 12.25-26, a Bíblia ensina a importância da unidade, "a fim de que não haja divisão no corpo, mas, sim, que todos os membros tenham igual cuidado uns pelos outros". E, claro, a alegria de um membro é a alegria de todos, assim como o sofrimento de um é o sofrimento de todo o corpo.
Por isso, quando um cristão é perseguido, torturado ou morto por causa de sua fé, todos nós, da igreja que é livre e não enfrenta tamanha hostilidade religiosa, devemos sofrer com eles.
Os cristãos perseguidos não são heróis. São homens e mulheres como nós, que sentem medo e insegurança, mas vivem sua fé de forma tão intensa a ponto de encarar a morte, que nos ensinam como perseverar em meio a muitas dificuldades. Muitos, infelizmente, não suportam a pressão e acabam negando Jesus. Você consegue imaginar seu filho sendo ameaçado de morte bem à sua frente? Ou sua esposa, ou seu marido?
Eles vivem uma realidade muito distante da nossa, mas na oração podemos nos aproximar deles. Podemos nos unir a eles. Podemos ser um com eles por meio da intercessão e da ajuda nos projetos em que a Portas Abertas atua, para amenizar o sofrimento dessa parte do Corpo.
Distribuição de Bíblias e materiais cristãos, treinamentos para pastores e líderes, além de professores, ajuda socioeconômica (como pequenos empréstimos, para a abertura de negócios), cursos de alfabetização, socorro emergencial em caso de catástrofes naturais e apoio jurídico aos cristãos presos injustamente – tudo isso faz parte dos projetos que a Portas Abertas realiza em favor da Igreja Perseguida. Todas as doações e recursos passam por auditoria anual e os doadores têm acesso aos resultados.

Pré-DIP

O Pré-DIP é um encontro que acontece geralmente um mês e meio antes da data oficial do DIP. Ele serve para que os novos organizadores tirem suas dúvidas e conheçam outros irmãos que se importam com a causa da Igreja Perseguida.

É um momento para troca de experiência, de comunhão e oração.

Você, que está realizando o DIP pela primeira vez, saiba que essa é uma ótima oportunidade para você executar um evento ainda melhor.
O pré-DIP será realizado no dia 14 de abril, de acordo com a disponibilidade dos Correspondentes Locais da Portas Abertas em cada estado brasileiro.
Uma novidade para este ano é que a Portas Abertas está planejando um momento de tira-dúvidas, além do pré-DIP. Uma reunião não substitui a outra, ao contrário, reforça a compreensão e ajuda no melhor entendimento de como realizar um excelente evento.
Fique atento! Avisaremos por meio de email sobre as reuniões.

Doação

Uma forma de ajudar a Igreja Perseguida é doando recursos financeiros. Afinal, para que a Portas Abertas continue atuando no campo da forma como ela atua, é preciso ter condições para suprir as necessidades físicas, materiais e, principalmente, espirituais dos cristãos perseguidos.As doações levantadas no DIP também são destinadas à produção de Bíblias e materiais cristãos; programas de TV e rádio via satélite em países muito fechados ao evangelho; preparação de treinamentos para pastores, líderes e professores; ajuda socioeconômica (como pequenos empréstimos para abertura de negócios); cursos profissionalizantes e de alfabetização; socorro emergencial em caso de catástrofes naturais e apoio jurídico aos cristãos presos injustamente.
Sua igreja tanto pode doar na ocasião do DIP quanto nesta página, quantas vezes quiser. Não existe valor estipulado.
Esta página facilita ao organizador realizar a doação quando quiser, pois como a data do DIP varia, podendo ser no começo, meio ou fim do mês, alguns irmãos sentem-se prejudicados por não poder colaborar.
Por meio do PagSeguro, sua doação poderá ser feita de forma segura e confiável.

Sobre o PagSeguro

O PagSeguro oferece um rápido, acessível e conveniente serviço de pagamentos online, para Web sites e comerciantes de qualquer porte e tamanho. O PagSeguro se integra aos bancos que operam no Brasil, permitindo assim a transferência de recursos direta e sem taxas para as contas correntes dos seus usuários.
O PagSeguro aceita as seguintes formas de pagamento:
cartoes-pagseguro
  • Cartões de crédito - parcelamento em até 18 vezes;
  • Débito bancário;
  • Boleto bancário;
  • Carteira eletrônica (saldo disponível na conta PagSeguro).
É importante que na hora de realizar sua doação você coloque seu nome completo, do contrário a doação será contabilizada como "anônima" em nosso sistema.

Oração

Após o DIP, a Portas Abertas sempre lança uma campanha de oração para que as igrejas participantes continuem intercedendo pelos cristãos perseguidos.

Quando visitamos esses irmãos e perguntamos sobre o que eles mais precisam, a resposta é sempre a mesma: "Por favor, ore por nós".

A oração é o que os sustenta.

As outras ações são consequências da oração, pois quando oramos, temos nosso coração mais próximo de Deus e Ele fala conosco. Ele nos leva a amar e agir em favor daqueles que Ele também ama.
Este ano, haverá uma campanha de 50 dias de oração pelas crianças da Igreja Perseguida. Muitas delas, desde muito pequenas, sofrem a consequência da fé de seus pais e também represálias nas escolas e nos bairros onde moram. Muitas acabam tendo poucos amiguinhos, já que os pais das outras crianças não permitem que seus filhos brinquem com as crianças cristãs.

Elas precisam ser lembradas e fortalecidas, para crescerem sabendo que vale a pena seguir a Cristo.

Levante sua igreja em oração por milhares de crianças espalhadas pelo mundo que não têm liberdade e nem perspectiva de uma vida melhor. Na Coreia do Norte, por exemplo, muitos pais abandonam seus filhos porque não têm condições financeiras de mantê-las e alimentá-las. No Oriente Médio, muitas meninas são abusadas pelo pai durante anos sem que a família saiba. Quando o irmão descobre, ele também passa a abusar da irmã. E quando o pai resolver contar que a menina não é mais virgem, a família decide matá-la.
É muito comum as crianças da Igreja Perseguida tornarem-se alvos nas mãos dos perseguidores. Na Colômbia, elas são recrutadas para fazer parte dos grupos guerrilheiros e das milícias.

Vamos defender essas crianças em oração. 
Vamos nos unir a elas e nos tornar um com elas.

AVISOS IPC-ITAPIRA

Avisos IPCI

30.01 19h30: Intercessão Mundial: Reunião de Oração por Missões; 20h30: Reunião em preparação para a Semana Centésima Ovelha e Reunião em preparação ao Acampamento de Carnaval: Convocados: Os mesmos da primeira Reunião;
31.01 19h30: Reunião com Comissão de Comunicação e Mídias: Convocados: Todos os membros da Comissão mais os que fazem o programa Meditação Matinal;
01.02 20h30: Reunião Explicativa sobre a Experiência do Cenáculo para os Presbíteros.
02.02 19h30: Reunião com todos os presidentes das sociedades domésticas, mais membros do Conselho Missionário e Comissão de Cuidados Pastorais.
03 a 05.02: Retiro dos Oficiais da Igreja.
04.02 19h30: Plenária da SAF.

CATECISMO MENOR DE MARTINHO LUTERO

Catecismo Menor de Martinho Lutero

Quarto Mandamento: Honre o seu pai e a sua mãe.

Que significa isto? Devemos temer e amar a Deus e, por isso, não desprezar nem irritar nossos pais e as pessoas que têm autoridade sobre nós; mas devemos honrá-los, servir e obedecer-lhes, amar e querê-los bem.

ANIVERSARIANTES

Aniversariantes:

31/01 - Sandro G. de Oliveira & Kesley G. de Oliveira;
01/02 - Thalita Brandão Silva;

Que nosso Deus derrame ricas Bênçãos sobre todos!!!

MENSAGEM PASTORAL

De volta ao quarto secreto
“Mas quando você orar, vá para o seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai que está em secreto. Então seu Pai, que vê em secreto, o recompensará.” (Mt 6. 6).

Em muitos ambientes da Igreja Evangélica Brasileira, infelizmente, a piedade parece ter se rendido ao espírito deste século, e como alertou Paulo, a piedade tornou-se fonte de lucro para muitos, virou um negócio lucrativo, tão rentável, que mesmo grandes corporações do mundo financeiro viram na espiritualidade cristã um mercado alternativo e seguro em meio á crise financeira. A exposição e a exibição em massa, seja em forma de grandes espetáculos, seja  em ajuntamentos apoteóticos como a tomada do Vale do Anhangabaú em São Paulo, a Marcha para Jesus, a lotação de Estádios ou os especiais televisivos ao invés de demonstrar a nossa força de transformação, a nossa capacidade de impactar, a nossa condição de sal da terra e fermento que leveda a massa, antes expôs os nossos pés de barro. É ridículo que cantores Gospel, que se dizem ministros do louvor, cobrem cachês altíssimos e exijam uma superprodução.  Evidentemente que estes cantores têm direito a sustento digno, de viverem de sua arte, de promover o seu trabalho enquanto exaltam a glória de Deus. Mas, há algo perigoso e errado com a lógica e a aliança com o mercado. As leis do marketing e do sucesso sacrificam no altar da popularidade a reverência, a vida interior seguida de ética e a adoração comprometida com missões. Precisamos retornar ao nosso quarto secreto e pedir a Deus discernimento e equilíbrio para não cairmos no exibicionismo farisaico do capítulo 6 do Evangelho de Mateus. Precisamos do escondimento de uma vida centrada em Cristo para não cairmos na cilada e na tentação do populismo, do sucesso a qualquer preço, da aceitação pela sociedade e pelo mundo e assim perdermos a nossa capacidade de andar na contramão dos valores distorcidos de nossa cultura. Sem a frequência assídua no quarto secreto perdemos a sensibilidade contra as sutilezas do pecado e vamos, aos poucos, nos acomodando aos padrões culturais de um mundo sem Lei e sem limites. Sem a quietude da comunhão com Deus a dispersão do dia - dia, e as muitas vozes que gritam dentro de nós reclamando atenção, como o amor próprio, a vaidade, a autoestima demasiada, a sensualidade, a cobiça, os prazeres da carne, aos poucos nos ensurdecem para a voz de Deus que costuma falar na brisa suave de Elias. Precisamos voltar ao quarto secreto para não ficarmos embrutecidos e com a consciência cauterizada em relação ao pecado que afronta a santidade de Deus, desonra o evangelho e avilta a dignidade humana. Missões também tem a ver com a intimidade do quarto secreto, pois é láque ouvimos o clamor de Deus: quem irá por mim? A quem enviarei? É lá que o Ide por todo o mundo se torna uma Lei e a Grande Comissão uma espécie de segunda natureza do pecador redimido. É no quarto secreto, na oração piedosa, confiante e cheia de amor que os nossos temores são tratados e os nossos complexos são desbaratados e aí podemos dizer: Eis me aqui, envia-me! E, Ai de mim se não anunciar o Evangelho. Sem esta vida escondida em Cristo nunca haverá Missões. Poderá haver marketing religioso e denominacional, ou até quem sabe algumas boas intenções, mas nunca haverá avanço no Reino de Deus, nunca haverá o alargamento de nossas tendas e as portas do inferno poderão sim resistir. 2012 é o ano dedicado à redescoberta e a vivência das disciplinas espirituais em nossa igreja. Dê o primeiro passo, obrigue-se a encontrar o tempo EXCLUSIVO para o diálogo franco e aberto com Deus na oração. Tenha um tempo dedicado à leitura espiritual e sapiencial da Bíblia, para à luz das Escrituras e no calor da oração sonhar coisas grandiosas para Deus em matéria de missões, discipulado, plantação de igreja, socorro dos pobres, contribuição financeira e etc. Desacelere a sua vida, evite a dispersão, fuja do exibicionismo, deseje e espere pela brisa suave onde a voz de Deus quer mostrar-lhe seu projeto de salvação e de amor pelos homens de todas as nações, raças e línguas. O “Ide” é precedido, gestado e fortalecido a partir do quarto secreto.       
Reverendo Luiz Fernando
                                                                                                                                                                                    Pastor Mestre da IPCI

domingo, 29 de janeiro de 2012

TV-WEB IPCI

TV-WEB IPCI


Culto do dia 29 de Janeiro de 2012 da Igreja Presbiteriana Central de Itapira.





Outros cultos também podem ser vistos acessando o nosso canal: 


CANAL TV-WEB IPCI


domingo, 22 de janeiro de 2012

TV-WEB IPCI

TV-WEB IPCI

Culto do dia 22 de Janeiro de 2012 da Igreja Presbiteriana Central de Itapira.

PRIMEIRA PARTE

SEGUNDA PARTE (Mensagem)

TERCEIRA PARTE


Outros cultos também podem ser vistos acessando o nosso canal:


CANAL TV-WEB IPCI

CATECISMO MENOR DE MARTINHO LUTERO

Catecismo Menor de Martinho Lutero

Terceiro Mandamento: Santifique o dia de descanso.

Que significa isto? Devemos temer e amar a Deus e, por isso, não desprezar a pregação e a sua palavra; mas devemos ter respeito por ela, ouvi-la e estudá-la com gosto.

ANIVERSARIANTES

Aniversariantes:

23/01 - Neide & João Beghini;
24/01 - Emerson José A. de Souza; Selma & Railton Andrade Jr;
25/01 - Adonay A. H. Ganan; Cristiane Bertini & André Soares;
26/01 - Ivana Maria de A. Silva; Antônio de F. Tenório & Edmêe Rizzi;
27/01 - Leonice Hortolã;
28/01 - Marco Antônio A. Petrucci; Maria Ap. & Saulo Camilo; Davi Duarte

Que nosso Deus derrame ricas Bênçãos sobre todos!!!

MENSAGEM PASTORAL

Espiritualidade missionária
“Agora ponho em sua boca as minhas palavras.” (Jr 1. 9b).

 Este ano de 2012 a IPCI deverá edificar o ano eclesiástico sobre dois fundamentos: A Espiritualidade e as Missões. Desejamos redescobrir e aprofundar as disciplinas espirituais a fim de que a nossa igreja faça uma experiência mais vibrante e gozosa na intimidade com Deus. Desejamos fazer este caminho de aprofundamento espiritual enquanto cristãos, de maneira individual e como comunidade de discípulos, como Igreja. Entretanto, esta dimensão mais introspectiva, mais contemplativa do exercício de nossa fé não pode levar-nos a uma espécie de narcisismo espiritual, transformando a nossa Igreja num tipo de SPA religioso. Temos a obrigação em cultivar uma espiritualidade missionária, descentralizada, não conformista, uma espiritualidade encarnada na concretude histórica que se deixa interpelar pelos desafios do cotidiano, da cidade, da sociedade, da cultura. Uma espiritualidade desalojada do conforto dos bancos de nosso templo e inserida em seu contexto. Precisamos aprender uma espiritualidade de ida, de saída, do encontro com o outro. Espiritualidade sem missão é alienação. Deverá haver ainda um equilíbrio entre o fazer e o ser. Não podemos nos enganar e cair no erro, melhor, na heresia do ativismo. Não podemos nos dar ao luxo de sermos tragados pela Agenda, pelos acontecimentos, pelo fazer por fazer. As nossas ações concretas, quer no campo da assistência social, da promoção humana, do cuidado com o meio ambiente, quer na participação na construção da cidadania e etc. devem ser precedidas e acompanhadas de vida espiritual disciplinada e profunda. O socorro aos pobres, as iniciativas de libertação social e promoção humana devem ter o seu nascedouro na leitura atenta e no estudo sério e comprometido da Bíblia. É ali que vislumbramos o projeto de Deus para o seu povo e a sua missão. É a partir das Escrituras e a partir do exemplo do próprio Senhor atestado em sua compaixão e em sua providência que descobrimos o nosso dever ético para com o próximo, o desvalido, o injustiçado e toda sorte de situação que avilta a dignidade humana. A Bíblia nos revela um Deus missionário que se deixa “tocar” pela dor do homem. A leitura bíblica deve ser acompanhada da oração. É na oração que os sentimentos de compaixão, misericórdia e amor são aflorados em nossa alma e que sensibilizam nossos corações a ponto de sermos arrastados para as missões. É na oração constante, confiante, clamorosa que encontramos a solução para aqueles entraves humanamente insolúveis. Pela oração portas são abertas, obreiros são levantados, doações e contribuições suprem as necessidades, resistência e conforto são ministrados, inimigossão vencidos e dificuldades suplantadas. Sem espiritualidade, a missão é proselitismo. Pensando nestas coisas é que convidamos toda a Igreja para fazermos de 2012 uma experiência de sermos uma comunidade contemplativa na ação. Isto é, fazer da adoração a fonte e o ápice das Missões. Sem adoração não há como fazer missões e ao mesmo tempo, é porque não há adoradores, ainda não o suficiente, é que fazemos Missões, para que este número seja completado com adoradores de todas as nações, raças, tribos e povos da terra. Adoração e Missões enquanto durar a história da Igreja, são inseparáveis e nenhuma deve receber mais ênfase do que a outra em nossa vida. Os verdadeiros adoradores são autênticos missionários. Os grandes missionários são os que adoram em espírito e verdade! Como anda a qualidade de sua vida interior? Como anda a sua freqüência no quarto secreto? Como tem sido e que resultados você tem colhido como discípulo-missionário de Jesus? Você tem se esforçado pessoalmente para obedecer a Grande Comissão? Ser discípulo é seguir Jesus na Galiléia e no Tabor, na Judéia e na cruz, mas é também ir aos confins da terra, pois é para lá que Ele vai em Missão. Vamos juntos?

                                                                                                                                                                         Reverendo Luiz Fernando
Pastor Mestre da IPCI

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

TV-WEB IPCI

TV-WEB IPCI

Culto do dia 15 de Janeiro de 2012 da Igreja Presbiteriana Central de Itapira.





Outros cultos também podem ser vistos acessando o nosso canal:



AVISOS IPC-ITAPIRA

Avisos:

08 a 20/01 - Férias pastorais.
18/01 - Reunião do Conselho Missionário após Estudo Bíblico.
21/01 - 19h:30 Acampadentro UCP.
21/01 Plenária UPA.
21/01 - Culto e Vigília de Oração no Centro Cultural Missionário, a partir das 20h.
22/01 - Assembléia Geral Ordinária na EBD.

CATECISMO MENOR DE MARTINHO LUTERO

Catecismo Menor de Martinho Lutero

Segundo Mandamento: Não abuse do nome do Senhor, seu Deus, porque o Senhor não considerará inocente quem abusar do seu nome.

Que significa isto? Devemos temer e amar a Deus e, por isso, em seu nome não amaldiçoar, jurar, praticar a magia, mentir ou enganar; mas devemos pedir a sua ajuda em todas as necessidades, orar, louvar e agradecer.

ANIVERSARIANTES

Aniversariantes:

15/01 -  Arlete R. Pereira Cavalari, Aline de Faria Tenório;
16/01 - Narmer I. C. H. Sol Ganan;
17/01 - Percídia Lopes da S. Cardoso;
19/01 - Tarsis R. Pereira, Nadir & José Sebastião Franco;
20/01 - Rute Sales Pereira.

Que nosso Deus derrame ricas Bênçãos sobre todos!!!

MENSAGEM PASTORAL

Visão Humanizadora da Espiritualidade Cristã
“Vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne.” Gl 5. 16.

 Aproveitando as minhas férias, pois descansar em Deus também faz parte da espiritualidade integral, apresento outro artigo de autoria de um pastor amigo, desta vez o pastor batista Gilberto de Souza. Lembrando que em 2012 a ESPIRITUALIDADE será o tema central de nossa vida comunitária. Em 2012, ao lado de nosso aprofundamento como Igreja Missionária, queremos ser também uma igreja que cultiva e vive as disciplinas espirituais como uma via de amadurecimento espiritual na relação com Deus, conosco mesmo, com o próximo, o meio ambiente e por fim com a prática e a vivência da Missão Integral. Desejamos despertar em cada crente o anelo pelas coisas do alto, pela lectio divina, oração centrante, contemplação, jejum libertador e etc. Tudo isso para desenvolver um caráter santo e comprometido com a glória de Deus por meio da obediência à grande Comissão. Boa leitura.
“Ao falarmos em espiritualidade, não podemos deixar de pensar nos dois extremos que a compõe. De um lado temos a supervalorização da espiritualidade em detrimento da nossa humanização, e de outro, temos a humanização da espiritualidade que nada mais é do que entender que somos também constituídos de carne e ossos. Há aqueles que alegam que a compreensão da espiritualidade tem trazido alguns prejuízos, pois, tenta tirar do ser humano o que lhe é mais característico, a humanidade. Desta forma, dizem que há uma busca de uma espiritualidade divinizadora do ser humano e não humanizadora. Isto quer dizer, que o ser humano que busca tal espiritualidade pensa ser invencível, ou pensa estar em um nível tão superior que acaba separando a vida secular da vida espiritual. Já a espiritualidade propriamente dita, embora seja uma expressão religiosa, a princípio, tem a ver com o relacionamento de Deus com o ser humano, e não pode de maneira alguma ser confundida com algum tipo de capacidade espiritual inerente ao ser humano. Para entendermos melhor a questão da visão humanizadora da espiritualidade cristã, devemos observar atentamente o que o apóstolo Paulo diz em I Co 6.20: “Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo”. É através do corpo que expressamos nossa espiritualidade em adoração, obediência e honra a Deus. Em Romanos 12.1, Paulo ainda diz mais: “Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.” Portanto, não pode haver divisão entre a vida espiritual e vida secular. Seria a mesma coisa que viver uma vida santa dentro da igreja, e no mundo uma vida profana. “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado.” (I Co 3.16,17). Vocação como chamado à vida: Na realidade a idéia  de chamado aqui, é a oportunidade dada a todos, de igual modo, como por exemplo, a vida. Todos nascemos com oportunidades. É certo dizer que nem todos nasceram em berço de ouro, mas assim mesmo, gozamos do direito de escolha dado por Deus. E esse direito é dado a todos de modo igual. Se alguém sofre por não ter um teto, um lar, uma vida, foi devido a escolhas feitas no decorrer de sua história. Se alguém tem um relacionamento conturbado, não tem paz nem alegria de viver, isto com certeza está vinculado as suas más escolhas do passado. Costumo dizer que, assim como somos tudo aquilo que comemos, também é certo dizer que somos tudo aquilo que escolhemos. A vida que temos e o que somos são um reflexo de nossas escolhas. A vocação, como chamado à vida tem haver com o que temos a oferecer a Deus. E a resposta é “nada”. Não temos absolutamente nada a oferecer, pelo contrário, é Deus quem nos oferece a vida e nos chama para uma santa vocação em Cristo Jesus. “que nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos.” (II Tm 1.9) Deus é quem nos chama e vocaciona para a vida. Podemos falar de uma espiritualidade humanizada e humanizadora, pois não poderemos nos abstrair de nossa humanidade ou de nossa espiritualidade, uma vez que o que somos o somos pelo chamado de Deus e o seu poder em nós, portanto posso dizer que nada mais espiritualizante que a nossa humanização no modelo de Jesus Cristo. ‘Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até a morte e morte de cruz.’ (Fp 2.5-8).”                                                                          
                                                                                                                                                                                    Pr. Gilberto de Souza
Ministro da Igreja Batista

sábado, 7 de janeiro de 2012

AVISOS IPC-ITAPIRA

Avisos:
08 a 20.01 - Férias pastorais.
21.01 - Plenária UPA.
22.01 - Assembléia Geral Ordinária na EBD.
25.01 20h:30 - Reunião para Preparar Retiro dos Oficiais.
26.01 19h:30 às 21h:00 - Noite de Espiritualidade para co-pastoreio.
27.01 19h:30 às 21:00 - Noite de Espiritualidade para Esposas de Oficiais.

CATECISMO MENOR DE MARTINHO LUTERO

Catecismo Menor de Martinho Lutero

Este é um pequeno catecismo escrito por Martinho Lutero em 1529. A intenção de Lutero através deste catecismo era dar uma introdução às crenças cristãs. Lutero o escreveu logo no início da Reforma em resposta à ignorância que ele observou no povo alemão. Ele é apresentado numa forma de perguntas e respostas. As respostas são curtas e diretas.

Primeira Parte: Os Dez Mandamentos
Primeiro Mandamento: Eu sou o Senhor, seu Deus. Você não deve ter outros deuses além de mim.
Que significa isto? Devemos temer e amar a Deus e confiar nele acima de tudo.

ANIVERSARIANTES

Aniversariantes:

09/01 - Antônio de Faria Tenório;
14/01 - Beatriz Galizoni Brandão.

Que nosso Deus derrame ricas Bênçãos sobre todos!!!

MENSAGEM PASTORAL

Espiritualidade
“Enchei-vos do Espírito” Ef 5.18

2012 será o ano dedicado a Espiritualidade na IPCI. Ofereço para a meditação dos irmãos sobre o que é e qual a relevância da vida espiritual neste artigo que segue, de autoria do Reverendo Ricardo Barbosa da IP Nacional em Brasília.
“Tenho, nos últimos anos, refletido sobre à espiritualidade cristã”. Minha preocupação está voltada para a apatia espiritual, a falta de integridade e coerência entre nossas convicções e a vida, a distância entre a teologia e a oração, e o chamado de Cristo para amar a Deus com a mente e o coração. Embora este tema tenha tomado outros rumos e provocado outros interesses, nem sempre fundamentados na Bíblia ou na longa tradição cristã, ele segue sendo um grande desafio para os cristãos do século 21.
Para manter o foco numa espiritualidade cristã e bíblica, é preciso reconhecer a centralidade da cruz. A cruz de Cristo foi única no sentido de que representou uma escolha, um caminho que Jesus decidiu trilhar: o caminho da obediência ao Pai. A espiritualidade cristã requer obediência. Sabemos que no tempo de Jesus existiram muitas outras cruzes e muitos que foram crucificados nelas; alguns culpados, outros martirizados. No entanto, nenhuma delas pode ser comparada com a cruz de nosso Senhor em virtude daquilo que ela representou. Podemos considerar que a cruz de Cristo começa a ser carregada no episódio da tentação. Ali, o diabo propõe um caminho para Jesus ser o Messias. Um caminho que representou uma forma tentadora de ser o Messias. Transformar pedras em pães, saltar do alto do templo e ser amparado por anjos, e receber a autoridade política e financeira sobre os reinos e as nações. Se Jesus aceitasse a oferta do diabo, rapidamente teria uma multidão de admiradores, de gente faminta encontrando pão nas ruas e estradas, encantada com seu poder sobre os anjos e os seres celestiais e com seu governo mundial estabelecendo as novas regras políticas e econômicas. Seria o caminho mais rápido para implantar seu reino entre os homens. Porém, o caminho de Deus não era este. O reino que ele oferece precisa nascer primeiro dentro de cada um. As mudanças não acontecem de cima para baixo nem de fora para dentro. É um reino que vem como uma pequena semente e leva tempo para crescer. Não é imposto, é aceito. Não se estabelece pela força do poder, mas pelo coração e mente transformados. O rei deste reino não permanece assentado no seu trono, mas desce e se torna um servo. A cruz de Jesus não significou apenas o sofrimento final do seu ministério público. Ela representou uma escolha que o acompanhou por toda a sua vida e que culminou em seu sofrimento e morte.Quando Jesus nos chama para segui-lo, ele afirma que, se não tomarmos nossa cruz, não será possível ser seu discípulo. A razão para isto é clara. Se o caminho dele é o caminho do servo obediente, o nosso não pode ser diferente. “Por isto, precisamos tomar nossa cruz, e ela deve representar também nossa escolha, que é a mesma que ele fez -- uma escolha pela renúncia e pela obediência ao Pai.” O apóstolo Paulo entende o chamado de Jesus para tomar a cruz e segui-lo quando afirma: “Eu estou crucificado para o mundo e o mundo está crucificado para mim”. O caminho do mundo ensina: “Ame seus amigos e seja indiferente com os outros”. O caminho de Jesus diz: “Ame os inimigos e ore por eles”. No caminho do mundo ser o maior e o melhor é o mais importante. No caminho de Jesus o melhor é ser o menor e o servo de todos. Podemos achar que o caminho de Cristo é muito difícil, que amar os inimigos, orar pelos caluniadores, ser manso num mundo competitivo, humilde numa sociedade ambiciosa, não é só difícil -- é impossível. Concordo, por isto o chamado é para tomar a cruz. A cruz significa renúncia, sofrimento e morte. As opções estão diante de nós diariamente. Todos os dias somos levados ao monte da tentação. Todos os dias o diabo nos oferece suas ofertas e seu caminho, e Deus, pela sua palavra, nos revela seu caminho. Todos os dias temos de fazer nossas escolhas. Tomar nossa cruz é aceitar o caminho de Cristo, e neste caminho experimentamos uma espiritualidade verdadeira.
Reverendo Ricardo Barbosa
Fonte: Revista Ultimato


quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

UTILIDADE PÚBLICA IPC-ITAPIRA

BOLSA DE ESTUDO SENAC

Informamos que está aberto o processo de seleção para bolsa de estudo

 no curso Técnico em Segurança no Trabalho. 

 As vagas são consideradas por ordem de chegada e que atenda os

 critérios para a vaga.
 Mais informações: 3813-8210 ou 3813-8211 (atendimento) ou faça o
 cadastro direto no site www.sp.senac.br (concessão de bolsa de estudo)
 Divulgue!
 Att.
 Letícia Maria de Lima
 Repres. do Senac na Rede Social Itapira